quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Bioenergética e Dança Integração para Gestantes


"A Análise Bioenergética foi criada por Alexander Lowen e John Pierrakos, alunos de Wilhelm Reich – Psicanalista e aluno de Freud. Juntos realizaram diversos trabalhos envolvendo o corpo no processo terapêutico, onde, buscando liberar as tensões, criaram as posturas em pé para promover vibrações, nascendo o conceito de grounding."



BIOENERGÉTICA COM DANÇA INTEGRAÇÃO

A bioenergética é uma terapia corporal que utiliza a respiração e exercícios específicos para acessar conteúdos emocionais inconscientes ou conscientes aprisionados no corpo. As emoções suprimidas não expressas ao longo de nossa vida ficam contidas no nosso corpo, formando contraturas musculares crônicas: as couraças musculares.

Os exercícios permitem a liberação da energia reprimida através de choro, riso, catarse e vibração espontânea do corpo, desmanchando esses bloqueios. Estas vivências aliviam as tensões, possibilitando a oportunidade de reconhecermos os nossos comportamentos automáticos e modificá-los. Desta forma conseguiremos ser mais autênticos, espontâneos, conscientes e felizes!



PROPOSTA DO GRUPO

Trabalhando a Maternidade na Bioenergética

A Bioenergética baseia-se na tese de que o que acontece na mente reflete no corpo e vice e versa.

A gestação é um período para entrar em conexão consigo mesma, permitindo que a consciência desperte, resultando numa entrega para o próprio corpo e num parto pleno de movimentos livres. Porem, isso não acontece com a maioria das mulheres, pois elas estão envolvidas em suas tarefas diárias, sobretudo em sua vida profissional, sem o tempo necessário para viverem a introspecção demandada pela gestação.



Desde a concepção até o parto, a mulher vivencia uma série ininterrupta de diferentes movimentos dentro de seu corpo. Concomitantemente, o desenvolvimento do feto provoca o deslocamento de seus órgãos e vísceras. Esse movimento fisiológico e energético movimenta também sentimentos e emoções, fazendo aflorar lembranças e histórias que estão guardados dentro do corpo.

Estes movimentos internos, especialmente na hora do parto, mobilizam couraças muito profundas, relacionadas com os registros da concepção, da gestação, do parto, da aceitação ou rejeição e da sexualidade, além do medo, que é resulto da falta de informação e especialmente da falta de conexão da mulher com seu próprio corpo.
Veja a matéria completa no link abaixo...!
Postar um comentário